Vivi num Colégio Interno e Adorei!

Aos meus 14/15 anos pedi a minha Mãe para ir para um colégio interno!! Estranho? Não!!

Fui para me divertir!!!

Como li os livros das “Gémeas no Colégio de Santa Clara” que era uma aventura de umas gémeas que faziam as maiores asneiras e tinham aventuras fabulosas num colégio interno!! E eu achei que iria viver as mesmas aventuras! Aliás vivi!!!_DSC0806

Até depois do 2º ano no colégio convidaram-me amavelmente a sair do colégio por perturbar as restantes alunas!! Sim, fui uma rebelde!!!

Tenho as melhores recordações do Ramalhão, Colégio de são José em Sintra!!

Era tudo maravilhoso, dormíamos todas juntas numa camarata, as brincadeiras noturnas era deliciosamente maquiavélicas! Heheheh

A saia da farda subida acima do joelho, a qual quando éramos apanhadas, era castigo na certa!!!

Na hora do estudo, as internas, juntavam-se todas numa sala e não se podia falar até a hora do jantar!! Os nossos ataques de riso, eram todos os dias, ao ponde da Irmã Amália também não conseguir conter o riso!

Sempre fui uma líder, onde quer que andasse, nos colégios ou nos grupos de Amigas. Por isso podem calcular as aventuras fantásticas que vivíamos diariamente naquele colégio!

Quando tinha negativas, tínhamos de dar a nossa responsável, que no meu caso era a Irmã Amália para assinar, na altura dava a novela do Roque Santeiro, e como não queria perder um único episódio, nunca dava os testes para assinar e então quando na aula de Geografia ( onde tive sempre negativas) a professora ( que já nem me lembro do nome) pedia para vêr o teste assinado, eu simulava desmaios constantes, onde toda a turma que já sabia que era a fingir ficava um caos, a aula parava, 3 ou 4 amigas levavam-me para a enfermaria, e lá ficamos até a hora do almoço a conversar e a rir!!!_DSC0813

Dava-me muito bem com as externas, as que iam dormir a casa, durante o dia era a galhofa total no recreio!!

No encontro de alunas que foi 25 anos depois, foi um reviver das nossas memórias, de quando éramos rebeldes!!!

_DSC0752

Pois muitas delas, são casadas, com filhos e contavam em tom baixinho as asneiras que fazíamos!!! Rimos tanto!!!!

Adorei tanto rever o colégio que apesar de estar completamente diferente, ainda sentia o cheio, a nossa queria Árvore de Magnólia onde cuscávamos os livros proibidos que as externas traziam de casa!!_DSC0865

São memórias que vão ficar sempre em mim!

Obrigada Ramalhão pelos momentos maravilhosos que me deste e das coisas que me ensinaste!!!

_DSC0926

Beijinhos

Anúncios

Margarida Gautier a “Magra”

Apresento-vos a Margarida Gautier Magra 🙂

Magra ou gorda, sempre fui uma Mulher dinâmica, capaz de fazer tudo!!!

Agora sinto algumas dificuldades em fazer algumas coisas, mas não as deixo de fazer!

Nunca senti preconceitos, até ao dia que já vos contei!!!moldura-252moldura-253  moldura-256

Mas tenho saudades desta Margarida, Magra e Poderosa 🙂

Mas hei-de lá chegar, acreditem!!!!

Ginásio e dieta como deve ser!

Nada de dietas malucas que depois engordamos o dobro.

Desta vez quero fazer as coisas como manda a “lei”!!!

Tenho o grupo de apoio do Facebook, as Guerreiras/os, que são fantásticos e divertidos!!

Que me ajudam a esquecer os salgados e o pão que são a minha droga!

Margarida Gautier… Olhá Magra!!!!!

 

Beijinhos

O Atum entrou na minha vida para ficar

Ando muito bem na minha dieta, já perdi peso e 2 “buraquinhos” do meu cinto!!!20140527_134247

O Atum, entrou na minha vida para ficar!!! Em água claro!!

20140527_131045

Não está a ser difícil e até achei que ia passar fome, mas não tenho. Mesmo indo ao ginásio, achei que quando chegasse a casa me iria apetecer um “boi”, mas não, nada!! Aguinha, e almocinho leve!!

  20140527_134522

Estou feliz com os resultados!!

 

Beijinhos

Sessão Fotográfica com Mónica Santana Lopes

No sábado fui para o Guincho fazer uma sessão fotográfica com a Mónica Santana Lopes do blog “A Mulher é que Manda”!!_DSC0514

Foi divertidíssimo, ela é fantástica!

O Carro dela até serviu de closet! Hehehehe

_DSC0669_DSC0673

Vejam as fotos e digam senão ficaram fantásticas!!

_DSC0637_DSC0624_DSC0534

Beijinhos

Summer Market com Maria Guedes

Fui visitar a queridíssima Maria Guedes, ao Summer Market!!_DSC0476

Maria Guedes, stylist e autora do blogue Stylista apresenta mais uma edição do Summer Market Stylista, um mercado de verão que o FIARTIL – o espaço que onde se realiza a Feira de Artesanato do Estoril.

É nos dias 24 e 25 de Maio, no Estoril, que irão estar presentes as marcas portuguesas mais originais do ano, em mais uma edição do Summer Market.

Adorei, estava tudo girissimo!!

_DSC0501_DSC0495 _DSC0511

Porque é bom ter 40 anos?

Porque é bom ter 40 anos?

É verdade que a pele já tem rugas, o corpo acusa o pssar dos anos, mas muitas mulheres sentem que a experiência de vida lhes trouxe auto-confiança, charme e coragem para enfrentar o futuro. E garantem que nunca foram tão felizes.

Activa.pt
17 Fevereiro 2012 
Sabemos que entrar nos ‘entas’ não agrada a muitas mulheres. Acham-se mais velhas, menos atraentes, mais atreitas a doenças. É certo que nem tudo é um mar de rosas, mas que tirar partido do que realmente é bom nessa idade. As mulheres começam a sentir-se mais serenas e donas de uma maior sabedoria. A energia da juventude está quase intacta, sem as indecisões e as angústias de quem está a começar uma carreira, um casamento ou uma família.
Os homens não se sentem menos atraídos, muito pelo contrário pois o charme feminino está no seu auge, tornando os jogos de sedução muito mais emocionantes. Com os filhos mais crescidos, algumas mulheres de 40 anos podem (finalmente!) ocuparem-se de si mesmas, voltando aos pequenos rituais de beleza para os quais nunca tinha tempo, como cremes, ginástica e banhos deimersão.
Outras só entrando nesta fase da vida têm coragem para virar a mesa e deixarem para trás situações familiares complicadas que pareciam ir durar para sempre.
É uma idade de ouro em que existe um longo percurso para trás mas também todo um leque de oportunidades pela frente. Existe mais carisma, maior auto-confiança e os julgamentos da sociedade deixam de ser importantes.
Perguntámos a algumas mulheres porque é que é bom ter 40 anos. As respostas falam por si.
“Tenho alguns quilos a mais mas isso já não é importante. Cheguei à conclusão que o que conta verdadeiramente na vida não passa por aí. Faço tudo o que fazia aos 30 anos, mas melhor porque agora tenho a vantagem da experiência. Faço ainda muitas das coisas que talvez já não faça aos 50 e tal, quando as maleitas físicas chegarem.”
 Fernanda Oliveira, 43 anos, esteticista
 
“Sinto-me mais confiante. Sou separada, mas não estou desesperada para arranjar um homem e isso é muito atractivo para o sexo oposto. Em termos de carreira cheguei onde queria e sinto-me realizada”.
Maria de Lurdes Hasse, 45 anos, advogada
“Há um acréscimo de charme. Sinto-me mais segura e isso reflecte-se, há uma aura de bem-estar que me faz mais bonita. Também já aprendi a valorizar-me porque sei perfeitamente o que me fica bem ou mal, por isso uso a roupa que quero, independentemente de ser moda ou não… Comparo a mulher de 40 anos a um pêssego que está maduro mas muito longe de estar podre…”
 Isabel Garcia, 43 anos, publicitária
 
“Tenho maior disponibilidade para trabalhar porque o meu filho já está criado. Também posso sair sempre que me apetece. Estou novamente mais virada para mim, com tempo para fazer ginástica e pôr cremes.”
Joana Correia, 46 anos, professora primária
“Os quarenta são uma continuação dos 30, sendo que as coisas chatas dos 30 já lá vão e as partes más dos 50 ainda não chegaram. Os 30 anos são muito exigentes, com o início da carreira e os filhos pequenos, aos 40 já podemos saborear alguma calma.”
 Maria Lúcia Morais, 45 anos, professora
 
“Os meus 40 são os mais bonitos do mundo porque agora sei fazer as minhas escolhas mesmo que o medo se meta ao barulho. Avanço sem receio de me magoar, respeito apenas a minha cabeça e não cedo às frustrações nem às conversas moralistas dos vizinhos do lado. A cabeça muda sem darmos por isso. Definitivamente ficamos diferentes aos 40 anos.”
 Cláudia Dias Pinto, 40 anos, enfermeira
 
“Os meus filhos admiram a calma e a precisão com que lhes explico tudo, mesmo o que nunca aprendi. Dizem-me: ‘és a mamã mais linda do mundo’. Surpreendo-me quando olham para mim e dizem: ‘as rugas fazem-te bonita’. Só é pena que as pernas já não corram da mesma maneira e os braços me doam quando o esforço é maior”.
 Ana Pereira, 40 anos, arquitecta
 
“Vivia subjugada pelo medo do que os outros podiam pensar de mim. Os anos foram passando e, também graças ao companheiro com quem estou actualmente, passei a ser mais auto-confiante. Hoje vivo a minha vida sem me preocupar (tanto) com os comentários alheios”.
 Mª Helena Amaral, 48 anos, empregada do comércio
 
” Sempre tive uma relação muito conflituosa com o meu marido. Os 40 anos trouxeram-me a percepção de que não queria passar o resto da minha vida a discutir e a coragem para me separar”.
 Eliane Monteiro, 45 anos, auxiliar de educação
 
“Nunca me senti tão bem. As minhas capacidades físicas e mentais estão em excelente estado de funcionamento, vivo mais em paz comigo própria e menos angustiada como futuro.”
 Berta Moreira, 47 anos, empresária
 
“Quando tinha 37 anos, e contra a vontade da minha família que achava que eu era muito velha para estudar, matriculei-me na universidade. Consegui acabar o curso de Direito e acabei por ser promovida na empresa onde trabalho. Foi difícil mas valeu a pena. 
Aos 40 anos, sou finalmente doutora.”
 Vera Cruz, 45 anos, funcionária pública
 
“Tireia carta de condução com 41 anos. Desde então a minha independência aumentou muitíssimo. Saio com as minhas amigas, vou para fora, não preciso de estar à espera de boleias. Estava farta de andar de transportes públicos e táxis.”
 Olívia Marques, 45 anos, jornalista
 
“Sou mais tolerante, adquiri a sabedoria de vida que me permite “adivinhar” os outros e antecipar situações menos agradáveis. Diria que vivo um novo estado de consciência e de julgamento,que me permite “ver mais claro” do que há 10 anos. Só tenho medo do que vou pensar (e sentir) quando o meu corpo fizer excessivo contraste com a minha juventude de espírito.”
 Mª Alice Félix, 48 anos, funcionária administrativa
 
“Foi preciso chegar os 40 anos para tirar um curso de computadores e começar a navegar na internet. Estou completamente actual. Só me falta fazer um curso de massagem ‘shiatsu’.
 Mª do Céu Oliveira, 43 anos, professora
 
“Fui mãe há um ano pela primeira vez. Ter um filho era o meu grande sonho. Por essa razão nunca fui tão feliz como agora, aos 42 anos”.
 Isabel Mendes, 42 anos, funcionária pública.
 
“Nunca cozinhei tão bem. Tenho vindo a aprofundar conhecimentos sobre culinária, comlivros e um curso que fiz, e a família e amigos andam pelo beicinho com os meus cozinhados. Aos 30 anos mal sabia fazer sopa”.
 Aurora Rodrigues, 43 anos, doméstica
 
“Estou com melhor cara agora do que quando era mais nova. Deve ser porque levo uma vida mais descansada. Não me sinto nada velha, muito pelo contrário”.
 Ilda Pulido, 49 anos, escriturária
 
“Aos 40 anos sentimos que podemos fazer tudo o que fazíamos com 20 mas com a sabedoria e experiência de uma vida. Achamos que temos o direito de cuidar um bocadinho mais de nós e menos dos outros. Também nos preocupamos menos com oque os outros pensam.”
 Mª Piedade Amaro, 43 anos, médica
 
“Jánão tenho o corpo que tinha aos 30 anos, até porque parei de fazer desporto, mas isso também já não me interessa. Estou mais preocupada em ter um ar arranjado e uma certa elegância. Até porque é impossível passar por uma rapariguinha de 20 anos.”
  Daniela Sousa, 41 anos, designer
 
“O meu casamento rejuvenesceu nos últimos anos. Eu e o meu marido passámos anos afogados no trabalho e preocupados com a educação dos filhos. Há uns anos paracá voltámos a ir passar fins de semana fora, férias a dois, descobertas gastronómicas e muito namoro. Têm sido muito bons estes meus quarenta e tal anos”.
 Dulce Coelha, 49 anos, economista
 
“Maquilhamo-nos menos, até porque adquirimos maior auto-confiança e auto-estima e sabemos que, em excesso, a maquilhagem pode ter o efeito contrário.”
 Benedita Trindade, 46 anos, secretária
 
“Tive quatro filhos muito seguidos e os meus 30 anos foram passados sem tempo pararespirar. Agora que o mais novo tem oito anos finalmente posso ter novamentevida própria”.
 Teresa Pimentel, 41 anos, doméstica
 
“Tenhoum corpo como nunca tive aos 20 anos. Depois de ter os meus dois filhos fiquei mais magra do que era e comecei a fazer ginástica. Sinto-me muito bem com a minha imagem e nunca tive tantos admiradores como agora”.
Ângela Duarte, 45 anos, jornalista